Ana Ghion

Ensaio Opcional (18/02)

Qualquer discurso elaborado por seres humanos reflete invariavelmente um posicionamento acerca dos fatos, expresso sobretudo através da escolha da linguagem utilizada, seja pelas palavras, pelas cores (quando se trata de uma linguagem não verbal), pela disposição da informação em um esquema e inúmeros outros exemplos. Assim como qualquer outra ciência feita por seres humanos, a biologia também possui viés. Utilizando representações esquemáticas de uma árvores filogenéticas como exemplo, não é ao acaso que animais, plantas e fungos (seres observáveis a olho nu) são dispostos espacialmente acima dos outros; ou que grande parte dos eucariontes, que não os três citados acima, foram caracterizados por muito tempo como protozoários, um nome por si só hierárquico. No meio científico, este viés é conhecido e considerado ao validar uma pesquisa, entretanto, por estas representações irem muito além deste meio, a sociedade como um todo acaba por, inconscientemente, reproduzir este paradigma não mais vigente. 

Ensaio 1 (03/03)

Um texto científico deve transmitir o caráter concreto e lógico que a própria ciência possui. Para isso, utiliza técnicas que direcionam a informação do autor para o leitor da forma mais direta e transparente possível. Destas técnicas, escrever apenas um verbo por sentença auxilia a escrita de textos científicos, porque simplifica a frase a uma única informação. Portanto, o leitor deve ser capaz de reconstruir o raciocínio lógico utilizado para alcançar a informação. Isso permite que o leitor consiga efetivamente questionar o que está lendo, uma das premissas da ciência.

Comentário de Guilherme Carmona:
Frase titulo não referencia o resto do texto. Uso de conectivo desnecessário. Comparação com natureza da ciência no final que não possui correlação com o texto.

Ensaio 2 (10/03)

Alguns modelos de reconstrução histórica admitem premissas artificiais e arbitrárias. Um exemplo dessas premissas é a parcimônia. É definida pela preferência à menor quantidade de eventos na história evolutiva de uma linhagem. Reversões e evolução convergente, por exemplo, são contrários à lógica da parcimônia e são eventos factíveis. Esses conceitos descrevem eventos que ocorrem múltiplas vezes e/ou em diferentes momentos. Processos ignorados pela parcimônia, por definição.

Ensaio 3 (17/03)

Chromalveolata é um exemplo de grupo formado e nomeado com poucas evidências, seguindo a chamada abordagem “chupacabra”. Porque os dados que refutam a hipótese, apesar de mais numerosos, são geralmente desconsiderados. No caso de Chromalveolata, estudos utilizando material genético plastidial consideram apenas os grupos que passaram por endossimbiose secundária, Chromoalveolata e Archeplastidea. Portanto esta abordagem não testa verdadeiramente o monofiletismo destes grupos, por não considerar grupos externos. Este é um exemplo de hipótese “chupacabra”.

Ensaio 4 (31/03)

Na teoria do surgimento de organismos eucariotos, Linn Margulis associou intimamente o aparecimento da mitocôndria com a geração de células-filhas com endossimbionte, através da organização da mitose. Apesar da vantagem que hospedeiro e endossimbionte teriam com uma via metabólica aeróbica, ainda existia um conflito acerca de como este fenômeno seria passado para a próxima geração. Por isso, inicialmente, Linn propõe que a poliploidia e multinuclearidade seriam soluções.Entretanto não seria eficiente por conta da necessidade de realizar muitas divisões para a geração de uma única célula-filha. A partir disso, Linn propõe que houve endossimbiose secundária de uma bactéria com habilidade de auxiliar nessa divisão organizada do material genético. Essa habilidade decorre da presença de estruturas de organização 9 + 2 semelhantes à tubulina que dariam origem ao centríolo. Apesar do papel central desta ideia na teoria da endossimbiose de Linn Margulis, ainda não há dados que corroboram esta endossimbiose secundária.

Comentário de Guilherme: Achei a frase título um pouco longa, talvez deixa-la mais concisa a tornaria mais clara e direta sobre o que o parágrafo busca abordar. Além disso acho que o tema é um pouco complexo para ser explicado em um parágrafo, por conta disso as informações se encontram meio perdidas e necessitando de maior explicação, apesar disso o texto é coerente com o que se propôs a abordar, não fugindo do tema ou tentando se alongar demais.

Ensaio 5 (14/04)

O registro fóssil representa apenas parte da diversidade de organismos. Uma estrutura ou corpo é fossilizado apenas se possui partes duras e se estas partes passarem por processos naturais de preservação. Estes processos envolvem preservar corpos ou estruturas inteiras ou moldes delas. Organismos estruturados apenas por partes moles não possuem estas características e, por isso, não são preservados por fossilização. Mesmo em organismos com partes duras, preserva-se exclusivamente estas partes e não o organismo como um todo. Portanto, este registro envolve apenas pedaços de determinados organismos. Por isso, não representa toda a diversidade de determinado período geológico.

Comentário de Miki: Achei que a frase título sintetiza bem o que você quis passar em um parágrafo. No entanto, achei um pouco repetitivo as informações passadas nas frases que se seguem, ao enfatizar várias vezes que determinadas estruturas não sofrem fossilização.

Aula invertida: Origem da Fotossíntese

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License