felipe_simoes

Felipe B. Simões

Ensaio Opcional [02/03]

A sistemática é o campo da biologia responsável por organizar os seres vivos em grupos. Atualmente, os critérios para definir esses grupos são as histórias evolutivas dos táxons, inferidas a partir de características que os grupos atuais apresentam. Uma série de ferramentas vêm sendo desenvolvidas para fazer essa inferência a partir das características, gerando debate sobre qual é a melhor abordagem. Assim, pode-se dizer que a sistemática atua em várias escalas. Pode trabalhar em cima de um pequeno grupo de subespécies ou tentar envolver grandes quantidades de táxons. Cada escala tem dificuldades específicas. Por exemplo, a escolha de características comuns a todos os grupos acaba limitando uma classificação que envolva todos os seres vivos conhecidos.

Comentário Sté:

Algumas sentenças não fazem uma ligação direta com as anteriores e são geralmente curtas, por exemplo, Cada escala tem dificuldades específicas. Algumas ideias são introduzidas mas não são concluídas. Na última sentença, foi abordado uma nova ideia e eu achei que ela não ficou muito desenvolvida e não faz muita referência com o parágrafo em si. Você iniciou o texto falando de um assunto amplo e termina falando de um detalhe. O uso da conjunção "assim" não foi adequado porque a sentença não retoma a ideia das sentenças anteriores. A ultima frase ficou um pouco confusa. Tanto a frase inicial quanto a segunda estão claras e objetivas

Ensaio 1 [09/03]

Público alvo: estudantes do ensino fundamental
Usamos a história para organizar os seres vivos que conhecemos. A vida surgiu há bilhões de anos na Terra e desde então vem sofrendo mudanças. De vez em quando, um grupo de seres vivos se divide em dois, e estes passam a sofrer mudanças de forma independente um do outro, resultando em características completamente diferentes para cada grupo. Chamamos a cada grupo desses de linhagem. Como tiveram uma origem comum, podemos pensar em relações de parentesco entre elas (linhagens que estão separadas a mais tempo ou menos tempo). Cada grau de parentesco organiza os parentes em uma escala. "Tataranetos" de uma determinada linhagem formam um grupo mais amplo que irmãos, mas irmãos também são tataranetos do mesmo tataravô. Assim temos grupos, dentro de grupos, dentro de grupos e assim por diante. Garantimos que cada ser vivo esteja bem organizado em uma estrutura que faça sentido.

Comentários por Rafael Vila Nova:

Considerando que o público alvo são estudantes do ensino médio, a linguagem empregada é adequada. Dois detalhes poderiam ser aprimorados, na primeira frase em vez de somente "história" poderia ser escrito "história da vida" que daria um sentido mais claro ao texto. No final do texto, quando as relações de parentescos começam a ser expostas, seria muito mais informativo se houvesse também uma ilustração de uma arvore filogenética simples, facilitando que o leitor visualize corretamente a explicação.

Ensaio 2 [16/03]

A maior parte da diversidade biológica foi desconhecida pela humanidade durante praticamente toda a história de nossa espécie. Talvez seja até hoje. Isso acontece porque a maior parte das formas de vida é microscópica, e só obtivemos instrumentos para detectar essas formas e classificá-las há poucas décadas. O próprio conceito de vida depende da nossa capacidade de detectar organismos. Argumentos defendendo vírus como serem vivos ganham força com análises cada veis mais detalhadas desses seres, que não seriam possíveis há 10 anos atrás. Assim, é provável que o conceito de vida se estenda no futuro a formas que atualmente consideramos inanimadas.

Comentário por Juan Meleiro:

A primeira frase, apesar de verdadeira, soa de forma muito categórica, o que pode prejudicar a retenção dos leitores. Na terceira frase, pode ser beneficial esclarecer que os instrumentos se referem à classificação, não à detecção. Ao mencionar o virus, é introduzido um assunto grande demais para um único parágrafo, apesar de ser um ótimo exemplo. Talvez a escolha de tema se adeque a um texto mais longo. A última frase apresente uma boa conclusão, mas talvez seja bom retorma a inicial com algo do tipo ”extendendo, como no passado, a diversidade biológica que conhecemos'' (mas melhor redigida).

Ensaio 3

Ensaio 4

Eventos de endossimbiose superam o conceito de mutualismo. No evento de surgimento da mitocôndria, temos uma situação de duplo ganho: a célula eucarionte ganha uma organela em que ocorrem uma série de processos metabólicos e a alphaproteobacteria fica em um ambiente estável. Porém, com o intercâmbio de informação genética, a perda de estrutura e de autonomia das duas partes o conceito de indívíduo torna-se nebuloso. Os dois envolvidos no processo tornam-se duas partes da mesma estrutura. Pode-se comentar acerca de cooperação dentro do próprio conceito de indivíduo? Órgãos em animais, por exemplo, são uma forma de cooperação? Nas duas situações, a integração entre as partes favorece a perpetuação dos genes. À luz da endossimbiose, ou o conceito de mutualismo tem que ser descartado ou tem que ser expandido para englobar qualquer escala de cooperação.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License