Fernanda Thomaz

Ensaios

Ensaio 1 - 19/02/16

Não feito

Ensaio 2 - 04/03/16

Uma ferramenta disponível para reconstruir a história da vida de forma objetiva é a construção de uma árvore filogenética. Esta pode ser feita a partir de métodos muito diferentes entre si, mas que possuem um objetivo comum: obter uma representação fiel dos dados e por consequência obter a mais provável representação do que de fato ocorreu. O desafio principal é como achar a árvore que atenda a esse objetivo da forma mais rápida possível. Pode-se começar com o acúmulo das possibilidades de árvores, seguido de uma filtragem a partir de critérios pré-estabelecidos e uma análise que apresente como resultado a melhor árvore. Dependendo do método escolhido pode-se por fim checar a compatibilidade entre a reconstrução e os dados existentes.

Modificado em 11/03/16

Por Jessica Maria

Uma ferramenta disponível para reconstruir a história da vida de forma objetiva é a construção de uma árvore filogenética. O texto poderia ficar mais objetivo e direto, por exemplo: "A construção árvores filogenéticas é uma ferramenta para reconstruir a história da vida."
Esta pode ser feita a partir de métodos muito diferentes entre si, mas que possuem um objetivo comum: obter uma representação fiel dos dados e por consequência obter a mais provável representação do que de fato ocorreu. Fiquei um pouco confusa na parte destacada, talvez por causa do uso da palavra "fiel". A ideia era passar que o objetivo dos métodos era estabelecer critérios para o cenário mais provável?
O desafio principal é como achar a árvore que atenda a esse objetivo da forma mais rápida possível Dá a entender que necessariamente a forma mais rápida é a mais eficiente. Pode-se começar com o acúmulo das possibilidades de árvores, seguido de uma filtragem a partir de critérios pré-estabelecidos e uma análise que apresente como resultado a melhor árvore. Dependendo do método escolhido pode-se por fim checar a compatibilidade entre a reconstrução e os dados existentes.

1. Um tema menos amplo poderia tornar a argumentação mais fácil
2.Tem bastante período no texto, o que deixou alguns parágrafos confusos.

Ensaio 3 - 11/03/16

Evolução Convergente pode ser causa de semelhanças entre organismos. Essas semelhanças podem ser comportamentais, morfológicas, celulares ou moleculares. São causadas por pressões seletivas parecidas. O pesquisador distingue esse tipo de similaridade das demais com reconstrução filogenética. A convergência difere em relação à distância dos grupos. Grupos proximamente relacionados convergem de formas diferentes de grupos distantes. Essa diferença se deve principalmente à influência do ancestral. Grupos com um último ancestral comum próximo são mais influenciados por capacidades genéticas. Grupos com ancestral comum distante são menos influenciados. Essa influência é gradativa e diretamente proporcional à distância entre as linhagens. Portanto a hierarquia filogenética pauta a análise evolutiva.

Modificado em 18/03/16

Por Victor Paciello

Evolução Convergente pode ser causa de semelhanças entre organismos. Essas semelhanças podem ser comportamentais, morfológicas, celulares ou moleculares. São causadas por pressões seletivas parecidas. O pesquisador distingue esse tipo de similaridade das demais com reconstrução filogenética. A convergência difere em relação à distância dos grupos. Grupos proximamente relacionados convergem de formas diferentes de grupos distantes. Essa diferença se deve principalmente à influência do ancestral. Grupos com um último ancestral comum próximo são mais influenciados por capacidades genéticas. não explicou o que é capacidade genética Grupos com ancestral comum distante são menos influenciados. Essa influência é gradativa e diretamente proporcional à distância entre as linhagens. Portanto a hierarquia filogenética pauta a análise evolutiva. Colocaria uma conclusão que fizesse referência à evolução convergente (o tema principal do parágrafo)

Ensaio 4 - 18/03/16

A pesquisa científica não deve ser enviesada. Mas a análise direcionada dos dados é uma falha recorrente nas ciências. Isso acontece quando o cientista formula sua hipótese de acordo com suas concepções. Ou quando coleta dados com uma intenção pré estabelecida. Assim como ocorre quando o pesquisador os interpreta de forma a provar sua hipótese. Ou quando dá ênfase aos resultados que coincidem com os desejados. Essa forma de fazer ciência leva à interpretações e reconstruções incorretas. Ocorrendo inclusive nas pesquisas de reconstrução filogenética. Nestas, o enviesamento pode levar a criação de agrupamentos inexatos. Um exemplo são os grupos "Excavata" e "Chromalveolata". Nesses conjuntos estão agrupados seres vivos muito diversos. Que provavelmente não deveriam estar organizados dessa forma. A pesquisa completamente afastada de viés é uma utopia. Mas cabe ao pesquisador minimizar esse direcionamento.

Ensaio 5 - 08/04/16

A classificação biológica auxilia a compreensão das relações entre os organismos vivos. Ela se faz necessária devido à diversidade e complexidade da vida na Terra serem gigantescas. Essa diversidade grandiosa é estimada em trabalhos científicos e ultrapassa a quantidade 8 milhões de espécies ¹. Por isso, são imprescindíveis ferramentas que possibilitem a organização dos seres vivos. Uma dessas ferramentas é a árvore filogenética. Entendemos essa ferramenta como uma representação gráfica objetiva das relações evolutivas entre seres vivos com um ancestral comum. Essas árvores resultam em agrupamentos mais ou menos incertos de organismos. Essas incertezas geram questionamentos, hipóteses e portanto pesquisas científicas. Estas são fruto da cultura, tendências, paradigmas e avanços tecnológicos de seu tempo. Dessa forma a ciência certamente possui vieses, que são direcionamentos e influências no trabalho científico. Concluo portanto que as classificações biológicas também são vítimas desse contexto científico. Além disso, dependem do viés para serem difundidas, aceitas e incorporadas ao ensino básico. Particularmente essa difusão por ser iniciada com o trabalho de divulgação científica.


¹ Segundo pesquisa realizada em 08/04/16. Fonte: http://agencia.fapesp.br/cientistas_calculam_quantas_especies_existem/14383/

Modificado em 15/04/16

Por Gabriella Hsia

A classificação biológica auxilia a compreensão das relações entre os organismos vivos. (Frase título boa, concisa, em ordem direta e simples) Ela se faz necessária (Cuidado com o uso de palavras "de ordem") devido à diversidade e complexidade da vida na Terra serem gigantescas. Essa diversidade grandiosa é estimada em trabalhos científicos e ultrapassa a quantidade a marca de 8 milhões de espécies ¹. Por isso, são imprescindíveis ferramentas que possibilitem a organização dos seres vivos. Uma dessas ferramentas é a árvore filogenética. Entendemos essa ferramenta como uma representação gráfica objetiva das relações evolutivas entre seres vivos com um ancestral comum. Essas árvores resultam em agrupamentos mais ou menos incertos (Não sei se seria bom dizer mais ou menos incertos. Eu pensei em algo como "agrupamentos suscetíveis à mudanças") de organismos. Essas incertezas geram questionamentos, hipóteses e portanto pesquisas científicas (Acho que seria legal explicar as incertezas resultariam em pesquisas científicas. Eu colocaria uma breve explicação como por exemplo "e a pesquisa científica pode ser utilizada como mecanismo na tentativa de solucionar esses questionamentos"). Estas são fruto da cultura, tendências, paradigmas e avanços tecnológicos de seu tempo. (Não entendi por que são frutos da cultura, tendências de seu tempo?) Dessa forma, a ciência certamente possui vieses, que são servem como direcionamentos e influências no trabalho científico. Concluo, portanto, que as classificações biológicas também são vítimas desse contexto científico. Além disso, dependem do viés (Qual viés?) para serem difundidas, aceitas e incorporadas ao ensino básico. Particularmente essa difusão por ser iniciada com o trabalho de divulgação científica. (Na minha opinião, essa última frase ficou um pouco fora de contexto aqui no final do parágrafo)

Comentários gerais
Na minha opinião, seu parágrafo ficou muito bom. O texto está linear, de fácil compreensão e bastante objetivo. A frase título resume bem o que você desenvolveu ao longo do parágrafo. Em alguns trechos, eu sugeri algumas mudanças que seria a forma como eu escreveria. Em outros trechos, na minha opinião, seria melhor desenvolvê-los mais. :)

Ensaio 6 - 15/04/16

A Teoria da Endossimbiose de Lynn Margulis revoluciona o conceito de célula eucariótica. A teoria sugere que plastos e mitocôndrias têm origem em uma associação simbiótica entre organismos. Mais especificamente, essas organelas se originaram a partir de um procarionte. Essa origem, chamada de Endossimbiose Primária, consiste no engolfamento de uma cianobactéria por um procarionte maior. Esses passam, então, a viver em simbiose. A simbiose consiste em uma relação mutuamente vantajosa entre os dois organismos. A Endossimbiose Secundária, por sua vez, consiste em um engolfamento de um organismos já com a organela eucariótica, por outro maior. De acordo com a teoria de Margulis, os eucariontes seriam, portanto, uma mescla de genomas. Essa mistura consiste em um genoma quimérico formado por material genético dos procariontes em simbiose. E nesse genoma quimérico é que estão apoiadas muitas das provas que corroboram a teoria de Margulis.

Modificado em 29/04/16

Por Nathália Caldeira

A Teoria da Endossimbiose de Lynn Margulis revoluciona o conceito de célula eucariótica. A teoria sugere que plastos e mitocôndrias têm origem em uma associação simbiótica entre organismos. Mais especificamente, essas organelas se originaram a partir de um procarionte. Essa origem, chamada de Endossimbiose Primária, consiste no engolfamento de uma cianobactéria por um procarionte maior. Esses passam, então, a viver em simbiose. A simbiose consiste em uma relação mutuamente vantajosa entre os dois organismos. A Endossimbiose Secundária, por sua vez, consiste em um engolfamento de um organismos já com a organela eucariótica, por outro maior. De acordo com a teoria de Margulis, os eucariontes seriam, portanto, uma mescla de genomas. Essa mistura consiste em um genoma quimérico formado por material genético dos procariontes em simbiose. E nesse genoma quimérico é que estão apoiadas muitas das provas que corroboram a teoria de Margulis.

Comentários gerais: a frase em azul está muito difícil de entender, não no sentido ortográfico ou gramático, mas no semântico. Como assim, um procarionte? Qualquer um? O mecanismo é explicado depois, mas a informação de "quem" daria origem às organelas ficou perdida. Um detalhe é que conjunções conclusivas sempre têm vírgula, como o "então" e o "portanto", mas isso é realmente um detalhe. A transição da penúltima para a última sentença parece um pouco artificial, como se o ponto final tivesse sido "forçado" na frase. Tirando esses detalhes de pontuação (que, realmente, são detalhes!) e a frase em azul, o ensaio está muito bom e fácil de compreender. Li o primeiro e achei que você evoluiu muito, Transiane! :)

Ensaio 7 - 29/04/16

O registro fóssil é essencial para reconstruir a história da vida na Terra. Essa reconstrução não é completa ou livre de inconclusões. Essa particularidade da reconstrução fóssil deve-se às dificuldades inerentes ao processo de fossilização. O processo é lento e envolve condições ambientais específicas como: soterramento rápido, baixas temperaturas, ausência de degradação por parte de bactérias e fungos, tipo de solo ou rocha específico1. Com a fossilização, podem ser preservadas tanto partes moles, quanto partes duras de um organismo, sendo mais comum esta última. Além de partes de organismos, também podem ser preservados vestígios da existência de um ser vivo ou moldes da estrutura corporal. Dessa forma, o registro fóssil traz pistas que auxiliam na reconstrução da história da vida.


¹ Segundo pesquisa realizada em 29/04/16: http://www.ufscar.br/museudebe/fossilizacao.html

Modificado em 06/05/16

Por Clarice Thomaz

O registro fóssil é essencial para reconstruir a história da vida na Terra. Essa reconstrução não é completa ou livre de inconclusões. Essa particularidade da reconstrução fóssil deve-se às dificuldades inerentes ao processo de fossilização. O processo é lento e envolve condições ambientais específicas como: soterramento rápido, baixas temperaturas, ausência de degradação por parte de bactérias e fungos, tipo de solo ou rocha específico1. Com a fossilização, podem ser preservadas tanto partes moles, quanto partes duras de um organismo, sendo mais comum esta última. Além de partes de organismos, também podem ser preservados vestígios da existência de um ser vivo ou moldes da estrutura corporal. Dessa forma, o registro fóssil traz pistas que auxiliam na reconstrução da história da vida.

¹ Segundo pesquisa realizada em 29/04/16: http://www.ufscar.br/museudebe/fossilizacao.html

As observações seguem a ordem em que foram destacadas as palavras:

- Essencial- Por que o registro fóssil é essencial para reconstruir a história da vida na Terra? Acredito que isso poderia ter sido abordado para finalizar o parágrafo.
- Comum- Por que é mais comuns que partes duras sejam preservadas? Não sei qual é o seu público alvo e a depender do seu público eu explicaria porque é comum que partes duras sejam preservadas em relação a partes moles.
- Auxiliam- Novamente, não fica claro porque fósseis auxiliam na reconstrução da história da vida na Terra. Você explicou características dos fósseis e de seu processo de formação, mas não discutiu sua frase título. A finalização do parágrafo poderia abordar isso, por exemplo. Seu público entenderia a importância do processo.

Gostei do seu parágrafo, achei que ele foi bem escrito e segue o padrão que se espera para essa disciplina, só esses apontamentos que eu mudaria.

Ensaio 8 - 06/05/16

Método sugerido pelo Daniel: fazer um mapa dos pontos que quero abordar, escrever do meu jeito e depois reescrever do jeito que está sendo proposto na disciplina, já que tenho muita dificuldade em escrever os ensaios.
Tema: A raiz dos eucariontes
Público alvo: alunos de graduação em Ciências Biológicas
Pontos a serem tratados no ensaio:
1) Estudos recentes - a raiz estaria no meio, apontando para uma divisão do grupo
2) Origem da célula eucariótica – muito antiga
3) Dificuldades - inerentes ao método filogenético, inerentes ao fato de que as divergências entre grupos ocorreram há cerca de 2 bilhões de anos
4) Resultados dos estudos – até pouco tempo não havia conclusões sobre a raiz dos eucariontes, novos horizontes de pesquisa são abertos

A raiz dos eucariontes é um tema que vem sendo discutido no campo da Biologia por mais de um pesquisador e alguns trabalhos vem sendo publicados, como o de Derelle et al, de 20151. Nesta publicação, os pesquisadores concluíram através de estudos de um conjunto de genes, que a raiz dos eucariontes estaria próxima de Excavata, e mais especificamente no meio desse grupo.
Esses trabalhos parecem oferecer uma solução para uma questão2 que rondava a mente de estudiosos da área3 há muito tempo, sendo que é um assunto difícil de ser estudado; primeiramente porque a divergência entre os grupos (Eukarya, Archaea e Bacteria) é um evento muito antigo na história da vida na Terra.4 Consequentemente, a divergência genética entre esses grupos é muito grande, tornando conspícua a separação entre os grupos; mas as semelhanças entre eles que poderiam sustentar hipóteses de onde se encontra a raiz dos eucariontes, ficam obscuras. Outra dificuldade encontrada pelos estudiosos do assunto são as próprias limitações do método utilizado, como por exemplo, no método filogenético: a raiz é colocada após a reconstrução já ter sido concluída, ou seja, o lugar da raiz é uma decisão. Além disso, a troca horizontal de genes entre os grupos dificulta a obtenção de uma árvore filogenética mais robusta.
Dessa forma, os resultados desses trabalhos recentes estão abrindo novas possibilidades de pesquisa, já que esclarecem pontos antes sem solução, não só o lugar da raiz, mas também esclarecendo as relações entre os grupos e até mesmo as relações internas dos eucariontes.

Reescrita (feita em casa):
A raiz dos eucariontes é um tema que vem sendo discutido no campo da Biologia por mais de um pesquisador. Alguns trabalhos vem sendo publicados, como o de Derelle et al, de 2015. Nesta6 publicação, os pesquisadores concluíram,7 através de estudos de um conjunto de genes, que a raiz dos eucariontes é próxima de Excavata. Esses trabalhos parecem oferecer uma solução para uma questão que rondava a mente de estudiosos da área há muito tempo. Esse assunto é difícil de ser estudado. Primeiramente porque a divergência entre os grupos (Eukarya, Archaea e Bacteria) é um evento muito antigo na história da vida na Terra. Consequentemente, a divergência genética entre esses grupos é muito grande. Dessa forma, a separação entre os grupos é conspícua. Por outro lado, as semelhanças entre eles que poderiam sustentar hipóteses de onde se encontra a raiz dos eucariontes, ficam obscuras. Outra dificuldade encontrada pelos estudiosos do assunto são as próprias limitações do método utilizado. Como por exemplo, no método filogenético: a raiz é colocada após a reconstrução já ter sido concluída, ou seja, o lugar da raiz é uma decisão. Além disso, a troca horizontal de genes entre os grupos dificulta a obtenção de uma árvore filogenética mais robusta. De qualquer forma, os resultados desses trabalhos recentes estão abrindo novas possibilidades de pesquisa. Isso deve-se ao esclarecimento de pontos antes sem solução. Não somente o lugar da raiz ficou mais elucidado, mas também as relações entre os grupos8 e até mesmo as relações internas dos eucariontes.

Modificado em 13/05/16

Comentários por Nathália Galizio
1. Frase muito longa e sem foco, não achei uma boa frase titulo.
2. Não entendi exatamente que questão é essa. Não ficou claro para mim.
3. Não acho um termo apropriado para um texto cientifico. Talvez mudar pra intrigava pesquisadores, ou algo assim. Rondar a mente é muito abstrato
4. Frase inteira ficou bem confusa.
5. Frase muito grande, perdi o foco umas 2 vezes no meio e tive que reler.

Comentário texto 1: usou frases grandes demais, que me tiraram a atenção na maioria das vezes.
Acho q você seguiu o seu roteirinho muito bem, mas a forma de expor suas ideias ficou confusa. Na minha opinião isso se deve, principalmente, ao uso de frases longas e pronomes relativos (esse, nesse, isso) .

6. Olha o nesta de novo! Repete o nome “Na publicação de Derelle, os pesquisadores concluíram….”. Acho que assim fica mais claro e preciso, dando uma indicação exata do q vc se refere.
7. Adicionei uma virgula para combinar com a sua virgula em genes. Assim o método de ação dos pesquisadores esta entre virgulas… ou vc poderia tirar a virgula depois do “genes”
8. Não ficou claro quais grupos. Apenas bactéria, archea e eukarya?

Comentário texto 2: Apesar de ter um formato bem semelhante, a divisão do texto em mais orações facilitou a compreensão e a dinâmica de leitura, na minha opinião. Ainda atento ao cuidado com os pronomes relativos. Tente sempre deixar claro ao que você se refere, mesmo que o assunto seja abordado na oração anterior. Não vi nenhum ponto final que me pareceu forçado, as orações foram muito bem divididas.

Ensaio 9 - 13/05/16

O tema geral do meu ensaio será "Fósseis de Eucariontes". Descreverei no meu texto o que são os fósseis. Além disso também escreverei sobre o porquê dos fósseis serem importantes. Dentro do campo das ciências naturais existe um ramo em que são essenciais: a Paleontologia. Mas acredito que é consenso que os registros fossilíferos são necessários para mais de uma área da ciência. Por exemplo, na Geologia são parte do estudo da deriva dos continentes e dos paleoambientes. Também são utilizados para estimar a idade relativa das rochas. Além disso, os registros fósseis auxiliam na localização de recursos importantes, como o petróleo. Na Biologia, permitem estudos evolutivos e filogenéticos. Fazem parte de estudos de especiação e dispersão de espécies. No geral, dentro das ciências biológicas, os fósseis são essenciais na reconstrução da história da vida na Terra. Mas, além de descrever essas importância, quero também tratar do porquê de alguém se interessar em ler um ensaio sobre fósseis. Quero entender porque gosto dos fósseis e porque quero escrever sobre eles. Ao meu ver, o maio desafio será incluir os Eucariontes dentro desses pontos que quero abordar.

Modificado em 21/05/16

Comentário por Stephanie Arcos

Gostei do seu tema, mas achei que ficou bem amplo. Seria interessante focar em alguma coisa que você ache mais legal (ou interessante) para que você tenha menos risco de se perder no tema. Mas claro que se você conseguir escrever sobre tudo será bem legal, só acho que vai ser complicado.

Ensaio 10 - 20/05/16

Lista de pontos que serão tratados:

1) Introdução: Apesar de ser um tema muito explorado e a maioria dos públicos já ter ouvido falar sobre o tema, será que entendem a real dimensão da importância desse estudo? Abordar também: definição de fóssil, definição de paleontologia (a ciência que estuda os fósseis), definição de fossilização, os tipos de fósseis, os tipos de fossilização (2 parágrafos).

2) Desenvolvimento: Pra que servem os fósseis, suas funções nos estudos de diversas áreas, sua importância na biologia e especificamente no estudos dos eucariontes, dar exemplos de fósseis de eucariontes e de construções humanas que se utilizam dos fósseis. Existem tipos de fósseis/fossilização específicos em que os Eucariontes costumam ser encontrados? (2 parágrafos).

3) Conclusão: ligar a importância dos estudos fósseis,principalmente dos eucariontes com a necessidade de se falar mais sobre isso para compreender os estudos e métodos das mais diversas áreas (1 parágrafo).

Ensaio 11 - 03/06/16

Ordem em que os assuntos serão tratados (organização em parágrafos):

Introdução - Parágrafo 1: Definição de fóssil. Os tipos de fósseis. Apesar de ser um tema muito explorado e a maioria dos públicos já ter ouvido falar sobre o tema, será que entendem a real dimensão da importância desse estudo em ciência? Definição de paleontologia.
Parágrafo 2: Como os fósseis se formam (definição de fossilização) e descrição de como ocorre o processo. Os tipos de fossilização.

Desenvolvimento - Parágrafo 1: Pra quê servem os fósseis e suas funções nos estudos de diversas áreas científicas.
Parágrafo 2: Sua importância na biologia e especificamente no estudos dos eucariontes, dar exemplos de fósseis de eucariontes (falar sobre os principais fósseis de eucariontes ou mais importantes) e de construções humanas que se utilizam dos fósseis. Existem tipos de fósseis/fossilização específicos em que os Eucariontes costumam ser encontrados? Focar na importância do estudo de fósseis na evolução de eucariontes.

Conclusão: Parágrafo único: Ligar a importância dos estudos fósseis, principalmente dos eucariontes com a necessidade de se falar mais sobre isso para compreender os estudos e métodos das mais diversas áreas.

Ensaio 12 - 10/06/16

Organização de cada parágrafo em frases:

Introdução - Parágrafo 1: Definição de fóssil: palavra derivada do termo latino fossilis que significa "desenterrado" ou "extraído da terra" (Tomassi, H. Z. & Almeida, C. M. O que é fóssil? Diferentes conceitos na Paleontologia In: XXII Congresso Brasileiro de Paleontologia, Natal. Atas, p.143-147. 2011. Disponível na internet em arquivo pdf.), é definido como adj(lat fossile) 1-Que se extrai da terra.2- GeolDiz-se dos restos de corpos organizados encontrados no seio da terra.sm Paleont.Qualquer vestígio, impressão, molde, petrificação, deixados por organismos de épocas geológicas anteriores à atual, em terrenos contemporâneos da sua existência, e consolidados por processos chamados de fossilização. (Dicionário Michaelis online:http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=f%F3ssil - Acesso em 10/06/16). Os tipos de fósseis: restos e vestígios. Apesar de ser um tema muito explorado e a maioria dos públicos já ter ouvido falar sobre o tema, será que entendem a real dimensão da importância desse estudo em ciência?Especificamente, os fósseis são estudadados pelo ramo da paleontologia: do grego palaiós= "antigo" +óntos= "ser" +lógos= "estudo", (http://www.ib.usp.br/evolucao/inic/text5.htm - Acesso em 10/06/16), é definido como sf(páleo+onto+logo2+ia1) Estudo das espécies desaparecidas, baseado nos fósseis organizados. (Dicionário Michaelis online: http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=paleontologia Acesso em 10/06/16).

Parágrafo 2: Como os fósseis se formam (definição de fossilização) e descrição de como ocorre o processo: sf(fossilizar+ção)Passagem de um corpo organizado ao estado fóssil; petrificação. (Dicionário Michaelis online: http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=fossiliza%E7%E3o Acesso em 10/06/16). Os processos de fossilização também chamados de diagênese, ocorrem após a morte do organismo, o transporte do matéria orgânica e soterramento do material. Envolve uma série de processos físicos e químicos que alteram o material. Os tipos de fossilização: mineralização, moldes, incarbonizações.

Desenvolvimento - Parágrafo 1: Pra quê servem os fósseis e suas funções nos estudos de diversas áreas científicas:auxiliam no conhecimento da evolução biológica, ajudam a estimar a datação relativa das camadas de rocha e qual a relação entre elas, auxilia a reconstituição dos paleoambientes,auxilia no reconhecimento e reconstrução da história geológica da Terra, identifica as rochas que são possíveis fontes de combustíveis fósseis.

Parágrafo 2: Sua importância na biologia e especificamente no estudos dos eucariontes:Os fósseis são a prova concreta da existência de determinados seres vivos no passado, evidências para a formulação de hipóteses filogenéticas entre organismos eucariontes, possibilita o resgate de informações pertencentes à um organismo extinto, auxilia na caracterização de organismos, calibram as filogenias (acrescentando um maior número de informações para as hipóteses evolutivas dos grupos eucariontes), permite determinar a data do surgimento de grupos de organismos. Exemplos de fósseis de eucariontes (falar sobre os principais fósseis de eucariontes ou mais importantes) e de construções humanas que se utilizam dos fósseis. Existem tipos de fósseis/fossilização específicos em que os Eucariontes costumam ser encontrados? Focar na importância do estudo de fósseis na evolução de eucariontes.

Conclusão: Parágrafo único: Ligar a importância dos estudos fósseis, principalmente dos eucariontes com a necessidade de se falar mais sobre isso para compreender os estudos e métodos das mais diversas áreas: os estudos dos fósseis possibilitam avanços científicos no conhecimento das mais diversas áreas, sendo portanto muito importantes, são muitos importantes também para a divulgação científica pois chamam a atenção do público leigo, sendo um canal eficaz na ponte entre ciência e sociedade.

Ensaio 13 - 17/06/16

Primeira versão:

Fóssil, uma palavra derivada do termo latino fossilis que significa "desenterrado" ou "extraído da terra"1. A palavra é um adjetivo que pode ser definido como aquilo que se extrai da terra, ou como os restos de corpos organizados encontrados no seio da terra, assim como qualquer vestígio, impressão, molde, petrificação, deixados por organismos de épocas geológicas anteriores à atual, em terrenos contemporâneos da sua existência, e consolidados por processos chamados de fossilização.2. Esses fósseis podem ser de dois tipos: restos dos organismos ou somente seus vestígios. Especificamente, os fósseis são estudados pelo ramo da paleontologia. Essa palavra deriva do grego palaiós que siginifica "antigo", óntos que equivale a "ser" e lógos que corresponde a "estudo"3. Esse substantivo pode ser definido como o estudo das espécies desaparecidas, baseado nos fósseis organizados4.Apesar da maioria do público leigo já ter tido contato com o tema e este ser muito explorado, será que entendemos a real dimensão da importância desse estudo em ciência?

O modo como esse fósseis se formam é definido como o processo de fossilização. Este corresponde à passagem de um corpo organizado ao estado fóssil ou petrificação5. Esse processo, também chamado de diagênese, ocorre após a morte do organismo. Esta é seguida do transporte da matéria orgânica e do soterramento do material. A fossilização envolve uma série de processos físicos e químicos que alteram o material. De acordo com isso, podem ocorrer por mais de uma forma: mineralização, moldações ou incarbonizações.

Os fósseis tem sua importância não só por si próprios, como objetos históricos. Sua importância também deriva das funções nos estudos de diversas áreas científicas. Dessa forma, auxiliam no conhecimento da evolução biológica, ajudam a estimar a datação relativa das camadas de rocha e qual a relação entre elas, ajudam na reconstituição dos paleoambientes e no reconhecimento e reconstrução da história geológica da Terra, promovem a identificação das rochas que são candidatas a serem fontes de combustíveis fósseis.

Sua importância na biologia basea-se no fato de que os fósseis são a prova concreta da existência de determinados seres vivos no passado. São evidências para a formulação de hipóteses filogenéticas entre organismos. Possibilitam o resgate de informações pertencentes à um organismo extinto. Auxiliam na caracterização de organismos. Calibram as filogenias (acrescentando um maior número de informações para as hipóteses evolutivas dos grupos). Permitem determinar a data do surgimento de grupos de organismos. Especificamente em relação aos fósseis de Eucariontes, além dessas funções já citadas, ainda são usadas em construções humanas e são encontrados em tipos muito específicos de rochas.

Falar mais sobre o estudo dos fósseis é necessário não só para compreender os estudos e métodos das mais diversas áreas. Também é necessário para possibilitar o entendimento de como ocorrem os avanços avanços científicos, principalmente os filogenéticos. Mas mais do que isso, são um instrumento válido para promover a divulgação científica. Isso deve-se principalmente ao fato de chamarem facilmente a atenção do público leigo. Dessa forma, facilita-se a construção de um canal eficaz entre ciência e sociedade, promovendo a divulgação da ciência.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License