Joao Oliveira

Ensaio opcional 02/03:

Classificações biológicas são produzidas sob diferentes considerações, sendo todas de certa forma arbitrárias. A utilização de evidências que suportem a sua proposta é imprescindível para qualquer classificação, mas muitas vezes não só evidências são consideradas, como na classificação dos 5 reinos de 1969, proposta por Whittaker. Nesta classificação, o autor arbitrariamente utiliza diversos ramos polifiléticos, mesmo com a ampla reprovação destes ramos na academia da época. Outro aspecto arbitrário utilizado, é o o contexto de complexidade dado na árvore, representando organismos "menos complexos" como basais, e organismos mais conhecidos e multicelulares como mais evoluídos e superiores.

Comentário por *Rosa*

Classificações biológicas são produzidas sob diferentes considerações, sendo todas de certa forma arbitrárias.

A oração-título está centrada em torno da arbitrariedade das múltiplas formas de se fazer classificações biológicas. O parágrafo exemplifica algumas arbitrariedades, consideradas como arbitrárias arbitrariamente.

A utilização de evidências que suportem a sua proposta é imprescindível para qualquer classificação, mas muitas vezes não só evidências são consideradas, como na classificação dos 5 reinos de 1969, proposta por Whittaker. (—> encaixa melhor no período abaixo).
Nesta classificação, o autor arbitrariamente utiliza diversos ramos polifiléticos, mesmo com a ampla reprovação destes ramos na academia da época.

Arbitrariedade ou ideologia?

Outro aspecto arbitrário utilizado, é o o contexto de complexidade dado na árvore, representando organismos "menos complexos" como basais, e organismos mais conhecidos e multicelulares como mais evoluídos e superiores.

Ensaio 1 (09/03):

A redação científica não depende de dom ou inspiração, mas de esforço. Há literatura específica de métodos de escrita focados no desenvolvimento de artigos científicos (Moore, 2013). A melhoria de técnicas de escrita também ocorre de forma acentuada com a prática, uma vez que te acostuma com as técnicas de produção de texto científico e te deixa mais confortável ao escrever. Uma vez confortável com esta atividade, a inspiração para a escrita passa a ter pouca relevância, se tornando uma atividade mais fluida e natural.

Comentário por Alexandre:

O ensaio possui um tamanho adequado, se considerados o tema e as ideias abordadas, e acaba sendo bem conciso. As orações são curtas, separadas de forma que a leitura do parágrafo como um todo não seja cansativa, o que é um ponto positivo. O parágrafo segue a ideia proposta pela frase título, abordando o tema de forma coerente do começo ao fim. O único ponto negativo talvez seja que a ideia de inspiração tenha sido apresentada no ensaio de maneira um pouco confusa, então talvez fosse melhor tentar desenvolver essa ideia um pouco mais.

Ensaio 2 (16/03):

Uma característica presente em uma população não necessariamente foi selecionada historicamente. Em populações pequenas, a deriva genética possui forte influencia, podendo fixar um caracter por puro acaso. Com isso, características favoráveis podem sumir de uma população e características desfavoráveis se manterem. Um exemplo clássico de um aspecto pouco potencializado é o nervo laríngeo nas girafas. Este nervo liga duas estruturas próximas, mas ao invés de liga-las diretamente, percorre todo o pescoço do animal até o tórax, aonde envolve uma artéria antes de voltar à cabeça. Este percurso é pouco funcional, mas se manteve historicamente pelas pequenas populações desta espécie.

++Comentário por Rúbia Vanderlinde:

O texto começa muito bem. A estrutura é limpa e coerente. Porém, quando você fala sobre o nervo laríngeo eu realmente me perdi um pouco. Você poderia ter falado um pouco sobre a função desse nervo e considerando a parte fisiológica, provavelmente essa disposição dele foi funcional em algum ponto da história.

Ensaio 4 (20/04) :

O surgimento de complexidade genômica pode ser um processo retroalimentativo. Um genoma complexo é definido como aquele extenso e que apresenta elementos transponíveis e abundância de íntrons. Tal complexidade tende a ser observada em espécies com um menor tamanho populacional efetivo (Lynch, 2003). Com populações pequenas, tais espécies são mais sujeitas à ação da deriva genética, que pode por sua vez, manter características prejudiciais. O surgimento de íntrons e elementos móveis são em geral eventos desvantajosos ao organismo, podendo portanto, ser mantidos pelo efeito da deriva. Isso implica em que quanto mais complexo o genoma, mais elementos conseguem se manter, deixando o genoma cada vez ainda mais complexo.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License