julia_trevisan

+ ensaios

ensaio opcional - 2/3

A biologia é uma ciência universal que está em constante construção. As descobertas aceitas pela academia são aprimoradas ou podem ser refutadas com novos artigos. Por ser uma ciência em construção é necessário unificar a linguagem afim de facilitar a comunicação entre os pesquisadores. A classificação dos organismos vivos estudados em biologia é um exemplo de tentativa de unificar a relação entre esses organismos. Ao longo dos anos a classificação passou por mudanças graças a estudos que ajudaram a resolver problemas de relação entre organismos. Inicialmente a árvore filogenética aceita defendia a existência de 5 reinos, que foram definidos por caracteres morfológicos, já que na época não havia ferramenta para o estudo molecular. É interessante notar que essa filogenia de 5 reinos apresenta maior diversidade de organismos dos reinos mais conhecidos (plantae, animalia e fungi) colocando-os no topo da árvore, dando a ideia de serem grupos mais evoluídos. As filogenias posteriores perdem esse caráter de superioridade dos organismos pela forma como está organizada. Além disso, a árvore aceita atualmente tem mais relações de ancestralidade resolvidas, tornando a filogenia mais informativa. Mesmo tendo uma filogenia aceita pela ciência ainda existem debates sobre certas relações e novos estudos que aprimoram essa classificação.

Comentário Dan -

1. Escolher apenas um tema simples, de modo que você consiga passar toda a mensagem.
2. Construções frasais mais simples.
3. Descobrir quais são os blocos que formam suas ideias.

ensaio 9/3

A árvore filogenética é um modelo que relaciona grupos de organismos. A árvore traz informação sobre especiação dos grupos, que vão se diferenciando do ancestral até formar uma nova espécie. A representação do evento de especiação é feita através de bifurcações nos ramos. Essas bifurcações são chamadas de nós e indicam eventos de cladogênese. As linhas retratam eventos de anagênese, que são mudanças evolutivas lineares que ocorrem dentro de uma espécie. A partir desses dados sobre evolução e especiação é possível relacionar os grupos de organismos. Grupos que sofreram especiação tardiamente na evolução estão mais relacionados entre si, já que estão acumulando diferenças há menos tempo. Assim, grupos terminais próximos tem mais informações em comum do que grupos que se diferenciaram há mais tempo.

COMENTARIO DAN: Que progresso! Notou que ainda alguns conceitos são grandes demais para este pequeno texto né? Anagênese, especiação tardia..

Comentário Priscila:
A oração título está muito boa, introduzindo bem o tema que será abordado. As frases estão curtas e de fácil compreensão. Talvez o tema seja complexo demais para que um leitor sem conhecimentos prévios consiga entende-lo bem com apenas um parágrafo. Faltou retomar o que já havia sido abordado na conclusão.

ensaio 16/3

Árvores filogenéticas baseadas em dados moleculares são mais coerentes do que as árvores fundamentadas com dados morfológicos. As características morfológicas eram muito utilizadas para estabelecer o nível de relação entre grupos de organismos. Isso era feito através de comparação entre diferentes organismos. Esse método pode trazer informações falsas para a filogenia através de analogias, que relacionam caracteres que não tem a mesma origem embriológica. Da mesma forma, esse método também pode não considerar caracteres homólogos, pela diferença morfológica entre eles. Esses caracteres visualmente perceptíveis são apenas uma pequena parte dos elementos comparáveis entre organismos e é incompleto relacioná-los apenas por essas informações. Com o avanço de tecnologias, o sequenciamento genético se tornou uma ferramente muito útil e trás muitas vantagens para a comparação. Os dados moleculares contém informações sobre o organismo, visto que carregam a informação genética de codificação de proteínas. Com isso, a comparação é mais fiel e dribla as limitações do método de comparação através da morfologia.

Comentário por Rafael Vila Nova:

As frases estão bem diretas e os argumentos bem pontuados, sem deixar em aberto o entendimento. Poderia também incluir melhor a explicação do porquê os dados moleculares oferecem mais garantias se comparado com dados morfológicos.

ensaio 23/3

A descoberta de conhecimentos baseados em outros estudos pode gerar erros na construção do conhecimento. A ciência é desenvolvida através de novos estudos que partem de premissas já esclarescidas. Essas premissas são assumidas como verdades consolidadas, baseadas em estudos feitos e aceitos pela academia cientifica. Algumas vezes, podem ocorrer erros nesses estudos basais que desencadeiam erros em estudos posteriores. Um exemplo é a árvore filogenetica proposta por Whittaker em 1866. Essa teoria foi aceita por muito tempo e diversos artigos foram baseados nessa classificação. Atualmente, essa árvore não é a mais aceita. Foram feitas outras propostas baseadas em dados moleculares que são largamente aceitas pelos pesquisadores. O desenvolvimento da ciência depende de conhecimentos basais para aprofundar assuntos diversos, porém existe a possiblidade de se apoiar em erros cometidos por outros pesquisadores. Assim, é necessário que essas premissas sejam revisadas afim de evitar erros.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License