maiumy

Ensaio opcional
Data: 02/03/18

Classificar é uma atividade recorrente na história humana. Diferentes culturas ao longo do tempo tem construído classificações; ora de acordo com juízos de valor, ora de acordo com critérios lógicos. As ciências não são, nem de longe, imunes à aparente necessidade de separar seus objetos de estudo em pequenas caixas, supostamente organizadas. Elas existem em áreas como a Física, Química, Linguística, entre outras. Na Biologia, uma das formas de classificação existentes é a dos seres vivos. Diferentes critérios já foram usados para separar as formas de vida. Um sistema muito difundido é a Classificação de Whittaker, realizada com base em três critérios: a organização celular, o modo de nutrição e as interações ecológicas. Atualmente, a classificação mais aceita tem como critério de construção as relações evolutivas entre os seres vivos. Isso não torna a classificação de Whittaker errada. Como sistemas independentes, classificações são corretas dentro de si mesmas. Quando comparadas umas as outras, não existem classificações corretas ou incorretas, mas classificações relevantes ou não para um determinado fim. Ou seja: a escolha de uma ou outra classificação é subjetiva.

Correção/dicas: Citar exemplos de classificação da citada "história humana". Exemplificar a "cultura" e a "classificação". "Supostamente organizadas" é uma crítica que deve ser defendida com um argumento de autoridade ou com argumentos de convencimento.
"Classificações são corretas dentro de si mesmas" foi um termo vago mesmo que destrinchado melhor depois.
A oração título foi clara, e realmente passa a ideia de classificação que será discutido no parágrafo.
As sentenças são curtas e objetivas (portanto muito adequadas para o modelo que estamos exercitando).

Ensaio 01
Data: 09/03/2018


COMENTARIO DAN: Bacana, os blocos estão aí! Vamos tentar juntá-los?

A diferença nos níveis de polimorfismos em espécies distintas ainda não é totalmente esclarecida. Recentemente, Romiguier e colaboradores (referência) publicaram um estudo que apresenta uma explicação para essa questão. Tradicionalmente, acreditava-se fatores de contingência histórica teriam a maior influência na diversidade genética. Entretanto, nesse trabalho publicado por Romiguier e colaboradores, fatores de história de vida de uma espécie apresentaram maior relevância. Além disso, um padrão observado foi o de que estrategistas k apresentam menores valores de polimorfismos do que os estrategistas r. Esse padrão pode influenciar em fatores ecológicos. Entretanto, a diferença na estratégia de reprodução não explica toda a diversidade genética entre as espécies. Para se atingir um grau mais alto de elucidação dessa questão, novos estudos ainda precisam ser realizados.

Comentário por Rosa

"A diferença nos níveis de polimorfismos em espécies distintas ainda não é totalmente esclarecida."
—> Você pretende esclarecê-la? Se não, eu indicaria limitar mais a oração-título.
Além disso, de que tipo de polimorfismo você fala? Entendo que seja genético por conhecer o trabalho de Romiguier, mas seu texto não dá pistas disso.

"Recentemente, Romiguier e e colaboradores (referência) publicaram um estudo que apresenta uma explicação para essa questão. Tradicionalmente, acreditava-se fatores de contingência histórica teriam a maior influência na diversidade genética."
—> Particularmente, eu prefiro apresentar o argumento a ser refutado antes do argumento de refutação. Essa ordem pode ser invertida, desde que o tema a ser refutado esteja claro a priori. O que não é o caso aqui, uma vez que a própria questão não estava explícita.

"Entretanto, nesse trabalho publicado por Romiguier e colaboradores, (sugestão: trocar um texto repetido por um verbo de ação direta > argumenta) fatores de história de vida de uma espécie apresentaram maior relevância."
"Além disso, um (O) padrão observado (pelos autores) foi o de que estrategistas k apresentam menores valores de polimorfismos do que os estrategistas r."

"Entretanto, a diferença na estratégia de reprodução não explica toda a diversidade genética entre as espécies."
—> só agora ficou clara qual é o tema (diversidade genética).

Ensaio 02
Data: 16/03/2018
Temas possíveis:


O sequenciamento massivo de material genético revolucionou a classificação dos microorganismos eucariotos. Na era pré-molecular sistematas usavam principalmente caracteres morfológicos visíveis à microscopia óptica para realizar classificações. Com a popularização do acesso a sequenciamentos, o uso de marcadores moleculares se tornou dominante na construção de filogenias. O uso de marcadores moleculares permite a comparação de seres vivos que não possuem caracteres morfológicos em comum. Portanto, a sistemática molecular expandiu o número de espécies que podem ser comparadas entre sim. Além disso, a análise de sequências alterou classificações pré-existentes, tornando as relações de parentesco mais fieis a um passado evolutivo. Portanto, a realização massiva de sequenciamento genético ampliou as possibilidades de aplicação da Sistemática aos seres vivos.

Comentário Rafael Viana:
Os blocos de construção estão bem definidos e o raciocínio é claro, com todas as frases sendo bem objetivas. O maior problema é a afirmação finalista logo na oração-título. Minha sugestão é em vez de usar "[…] revolucionou a classificação dos microorganismos eucariotos." por "[…] pode ter revolucionado a classificação dos microorganismos eucariotos."
Há duas também orações seguidas com o mesmo sujeito (uso de marcadores moleculares). O começo da segunda frase poderia ser "Além disso…"
Parece que há 2 conclusões no parágrafo, nas frases que começam com o "portanto". Elas poderiam ser unidas no final, pois separadas dão a noção de que o assunto mudou.

Ensaio 03
Data: 23/03/2018

A delimitação imperativa do objeto de estudo do cientista cria vieses inevitáveis. O primeiro passo de um cientista é o ato de observar um objeto. A observação é seguida pela experimentação, que tem por finalidade obter informações acerca do objeto. Após repetições desses passos, as descrições dos objetos e das relações entre eles se tornam cada vez mais precisas. Esse método é eficiente para entendermos o mundo natural. O progresso da ciência e de suas aplicações são evidências disso. Entretanto, há de se lembrar que nossos modelos do mundo natural não são o mundo natural. Ao concentrarmos nossa atenção em um universo de estudo, descartamos muitos eventos que acontecem fora dele. A partir de então, nossas observações se tornam limitadas. Consequentemente, as conclusões se tornam enviesadas para o que acontece dentro do universo de estudo. Explicações para eventos que acontecem nesse universo podem estar fora dele. O mundo natural não é necessariamente separado conforme os universos de estudo escolhidos pelo cientista.

Comentário por Isabella Gaião:

O parágrafo possui uma frase título clara e bem estabelecida no contexto. Achei um pouco confuso quando você afirma que " o método é eficiente para entendermos o mundo natural" e um pouco mais abaixo diz que o que é observado não é realmente o mundo natural, introduzindo um novo termo "modelo" que não é muito bem explicado posteriormente. Primeiro é afirmado que o método permite entender o mundo natural, depois é colocado que os dados obtidos são modelos de um possível mundo natural. Por fim, senti a falta de uma frase conclusiva, de forma que abrangesse o parágrafo.
O parágrafo está muito bem estruturado com frases curtas e claras e traz, em geral, uma linha de raciocínio coesa.

Ensaio 04
Data: 20/04/2018

Público alvo: graduandos em Ciências Biológicas

Em 1967 Lynn Margulis publicou uma teoria acerca da origem do processo de mitose (1). Nesse trabalho, Margulis argumentou que a mitocôndria, o cloroplasto e o flagelo teriam sido originados por endossimbioses realizadas com organismos procariontes. Na época em que Margulis propôs essa teoria, não haviam evidências que pudessem comprová-la. Fatos como a existência do DNA mitocondrial e plastidial, que hoje são uma das evidências da endossimbiose, ainda não eram conhecidos. Entretanto, Margulis incluiu em seu trabalho previsões acerca do que deveria ser encontrado se sua teoria estivesse correta. Entre essas previsões encontramos a existência de DNA nas organelas originadas por endossimbiose. Além disso, ela também incluiu a transferência de DNA das organelas para o núcleo em suas previsões. Resumindo,

Referências:

[1] On the origin of mitosing cells. Sagan L. J Theor Biol. 1967.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License